Laguna

Problemas como a falta de segurança em algumas estradas, falta de critérios na fiscalização, a altíssima carga tributária e os entraves na mobilidade urbana de diversas cidades somam-se ao possível risco de empresas fecharem suas portas ou, no mínimo, demitir ainda mais colaboradores. Tudo será discutido durante o 6º Encontro da Associação das Empresas de Transporte Turístico e Fretamento de Santa Catarina (Aettusc), entre amanhã e este sábado, no Laguna Tourist Hotel, na Cidade Juliana.

O consenso entre membros do setor é de que o cenário é grave. “Somente no ano passado, o quadro de funcionários das empresas catarinenses foi reduzido em média 30%”, alerta o presidente da Associação, Heins Waldemar Parey, eleito no fim do mês passado, sucedendo Nilton Pacheco, que assumiu a vice-presidência.

Soluções para a mobilidade urbana nos municípios de médio e grande portes do estado, os frequentes assaltos nas estradas e a alta tributação do setor, entre outros assuntos, estarão na pauta do evento. “Teremos representantes de todos os segmentos, não somente das empresas”, antecipa Parey, que ressalta a participação de profissionais do Departamento de Transportes e Terminais (Deter), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Fonte: Notisul

Este artigo está em

Join the Conversation