Invasão na Câmara dos Deputados gera pancadaria

Um vídeo mostra cenas de pancadaria na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira. O plenário da Casa foi invadido por manifestantes de extrema-direita, que chegaram a quebrar vidros da entrada da Câmara, em Brasília.

Os seguranças foram pegos de surpresa, assim como os deputados. De acordo com informações da “Globo News”, os manifestantes não estão identificados a nenhum movimento específico, afirmando apenas que lutam “pela intervenção do povo”.

Relatos dão conta de que palavras de ordem clamando por uma intervenção militar também vêm sendo proferidas. Muitos presentes estariam gritando “Queremos general!”, fazendo saudações ao juiz Sérgio Moro e pedindo o “fim do comunismo no Brasil”.

Com a Mesa-Diretora tomada pelos manifestantes, foi estendida a bandeira do estado de Pernambuco. A negociação com os manifestantes estaria sendo tocada pelo deputado Beto Mansur (PRB/SP), 1º Secretário da Mesa.

A porta de entrada do plenário foi completamente destruída durante a invasão. Jornalistas e cinegrafistas foram deslocados para fora do Plenário enquanto parlamentares tentam negociar com os manifestantes.

Em entrevista à imprensa presente na Câmara, um dos manifestantes explicou alguns pontos da reivindicação: “Eles estão seguindo a cartilha do Planalto, sendo que eles estão aqui para fiscalizar o Planalto”. Ele ainda argumenta que o deputados estariam “institucionalizando o comunismo no Brasil”.

A confusão na Câmara, em Brasília, se dá no mesmo dia em que servidores, mais uma vez, protestam no Rio de Janeiro, em frente à Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), contra o pacote proposto pelo governador Luiz Fernando Pezão para tentar contornar a crise financeira pela qual passa o Estado.

Matéria originalmente publicada no site Extra

Manifestante explica motivo

Este artigo está em

Join the Conversation