Um grupo de 12 famílias de agricultores da Microbacia do Rio Armazém, de
Urussanga, reuniram-se pelo quinto ano consecutivo para a produção coletiva de melado para o auto consumo. O mutirão aconteceu no dia 9 de agosto, com início às 5h da manhã e término às 22h.

No dia anterior, cada família levou até o engenho 6 feixes de cana de
açúcar para serem transformados em melado.
O referido engenho fica localizado na propriedade de Alberto Baesso, que tem 96 anos de idade, é grande incentivador deste trabalho e de seu filhoJoão Batista Baesso e a nora Marilene Maziero Baesso. Este engenho estava desativado há 10 anos, mas a partir do Projeto Microbacias 2 voltou à ativa e está contribuindo para a melhoria da qualidade de vida destas famílias. É o resgate da tradição, da produção do alimento saudável.

Deste mutirão resultou a produção de 202 litros de melado, repartidos entre os colaboradores. Além da união para a produção, também é um dia de alegria e descontração. Cada família traz o lanche para o café da manhã e da tarde e, no almoço, foi servido churrasco para todos.

Participaram da atividade o vice-prefeito, Luiz Henrique Martins, o secretário de agricultura, Jucemar Sangaletti, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga e Cocal do Sul, Adefonso Baesso, o Advogado da prefeitura, Pierre e o presidente da ADM Amigos do Rio Armazém, Pedro Rossi Duarte. Estas famílias pertencem ao grupo temático “segurança alimentar”, trabalhado pela Epagri há 6 anos, com o objetivo de resgatar a produção de alimentos saudáveis para o auto consumo.
Participaram da ação, pela Epagri de Urussanga, o extensionista rural Fabiano Alberton e a extensionista social Maria Cristina Cancellier da Costa.

Este artigo está em

Join the Conversation