Comitiva de Santa Catarina visita Universidade de Jena na Alemanha

A missão catarinense que está na Alemanha para o Encontro Econômico Brasil-Alemanha conheceu nesta terça-feira, 18, a Universidade de Jena, localizada na cidade de mesmo nome, e o Centro Ernst Abbe, no campus universitário. A comitiva, liderada pelo secretário de Assuntos Internacionais, Carlos Adauto Virmond, era formada por reitores de universidade do Sistema Acafe (Associação Catarinense das Fundações Educacionais), representantes do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e da Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina).

“Fomos recebidos de braços abertos pelo vice-reitor para Assuntos Acadêmicos da Universidade de Jena, Alexander Ritchie, que ficou bastante impressionado com o tamanho do sistema de ensino catarinense”, relatou o secretário Virmond. “Estou certo de que o acordo de cooperação que a Universidade de Jena assinará nesta quarta-feira com as universidades catarinenses trará muitos e bons frutos para Santa Catarina”, prevê Virmond.

Nesta quarta-feira, 19, as universidades catarinenses e da Turíngia assinarão acordos de cooperação em um evento realizado em conjunto pela Secretaria de Assuntos Internacionais do Governo do Estado (SAI) e o Ministério da Economia, Ciências e Sociedade Digital da Turíngia, em Erfurt, como parte do acordo de irmanamento entre os dois estados formalizado na segunda-feira, 17.

Rafael Paulo/SAI/Reprodução ORS
Rafael Paulo/SAI/Reprodução ORS

O presidente da Fapesc, Sergio Luiz Gargioni, se diz otimista com as cooperações que virão a partir do acordo de irmanamento entre Santa Catarina e Turíngia. Para ela, há espaço para avançar em áreas do conhecimento em que o estado alemã se destaca. “Descobrimos que essa e outras universidade da região de Jena possuem um ecossistema de apoio a novas empresas e startups por conta da capacidade que elas têm na área de óptica, fotônica e outros de materiais. Ainda é um território para ser explorado”, comentou Gargioni.

Para o reitor da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) e presidente do Sistema Acafe, Sebastião Salésio Herdt, a iniciativa da SAI em promover as visitas em Jena abre oportunidades para as universidades. “As universidades não vão individualmente no primeiro momento. Elas vão como o Sistema Acafe, apresentado pelo Governo do Estado dentro de uma iniciativa de cooperação e que irá se multiplicar com os interesses individuais das universidades”, avaliou o reitor.

A aproximação das instituições de ensino dos dois estamos incentivará novos vínculos. “Vão surgir programas de incentivo ao intercâmbio de professores. As próprias universidades buscam este intercâmbio de professores e pesquisadores que é fundamental”, conclui Herdt.

Além do reitor da Unisul, Sebastião Herdt, o Sistema Acafe estava representado pelo reitores da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Mário Cesar dos Santos; da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), Cláudio Alcides Jacoski; do Centro Universitário de Brusque (Unifebe), Günther Lother Pertschy; do Centro Universitário Barriga Verde (Unibave), Elcio Willemann; o secretário-executivo do Sistema Acafe, Paulo Ivo Koehntopp; e pela Maria Elisabeth da Costa Gama.

Capitação para servidores públicos

O procurador-geral de Justiça do MPSC, Sandro José Neis, que integra a missão de Santa Catarina, acredita que abrem-se oportunidades para o estado capacitar também os servidores públicos em cursos de pós-graduação e perícia.

“Para o Ministério Público de Santa Catarina, isso tem uma relevância muito grande, na medida em que um bom profissional, extremamente especializado, poderá apresentar laudos periciais de ponta, que poderão ser decisivos para a elucidação de crimes e infrações de toda ordem”, exemplifica o procurador-geral de Justiça. O Ministério Público catarinense também esteve representado na missão pelo subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Institucionais do MPSC, Fábio de Souza Trajano.

Laboratórios

A visita pelo Centro Ernst Abbe inclui paradas no Laboratório de Engenharia Eletrônica e Tecnologia de Automação, onde os alunos aprendem na prática a digitalização completa de um sistema de produção da Indústria 4.0 e a comunicação entre as diversas fases do sistema. No laboratório de aplicações de laser, a comitiva conheceu o sistema que faz soldas e impressões a laser em diversos materiais, como madeira, metais ou tecidos.

Este artigo está em

Join the Conversation