EDINHO RECLAMA E COBRA PROFISSIONALIZAÇÃO DOS ÁRBITROS DE FUTEBOL

EDINHO RECLAMA E COBRA PROFISSIONALIZAÇÃO DOS ÁRBITROS DE FUTEBOL

Brasília – “Foi um absurdo, uma vergonha. A arbitragem que assusta mais do que o time adversário”, disse o deputado Edinho Bez (PMDB) ao cobrar punição para o árbitro Wilson Pereira Sampaio que usou o “apito amigo” a favor do Cruzeiro ao expulsar o lateral direito Suéliton, aos 3min do segundo tempo, quando o Criciúma vencia o jogo por 3 a 2. O parlamentar defendeu a aprovação de projeto de sua autoria que dispõe sobre a profissionalização dos árbitros de futebol.

– O empregado do clube de futebol é profissional, o jogador é profissional, a imprensa que dá cobertura é profissional, todos em volta são profissionais, e o juiz continua amador. Os árbitros de futebol no Brasil conseguem transmitir insegurança para os jogadores, para os torcedores e dirigentes dos clubes de futebol, para os técnicos, para a imprensa. A única categoria, se assim podemos chamar que não é punida por seus erros, má fé, incompetência, por falta de uma boa qualificação, entre outras barbáries.

Integrante da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara, Edinho apresentou há 8 anos,  um Projeto de Lei visando a profissionalização dos árbitros de futebol no Brasil, acordado com a Associação Brasileira de árbitros, “focado no desastre, na péssima qualidade da arbitragem por parte de muitos árbitros de futebol”.

– Está na hora de darmos um basta. O árbitro de futebol tem que ser punido. Sugiro inicialmente a suspensão, por exemplo, de seis meses sem apitar, sem trabalhar naquele período. A partir do momento que ele souber que será punido e se for uma pessoa de princípios, que reflita o sentimento de torcedor, a paixão do povo brasileiro pelo futebol ele vai se preparar melhor: vai estudar mais, se capacitar melhor, se preparar melhor fisicamente, como qualquer profissional.

 

Este artigo está em