Paralisação de caminhoneiros impacta combustíveis em postos, mercados e outros produtos em todo o país

Segundo informações, Armazém, São Martinho, alguns postos de Tubarão, Treze de Maio, Araranguá, não há mais combustível sendo comercializado nos postos.

Caminhoneiros estão em manifestação em todo o país, os protestos entram no terceiro dia e começam a causar reflexos entre a população. Praticamente todos os tipos de rodovias nos 23 estados, mais o Distrito Federal, contam com atos, alguns deles em frente a pontos estratégicos, como refinarias, impedindo a saída de caminhões-tanque.

Vários postos de combustíveis registraram fim do estoque em seus tanques apenas um dia após os protestos. Segundo informações, Armazém, São Martinho, alguns postos de Tubarão, Treze de Maio, Araranguá, não há mais combustível sendo comercializado nos postos. Mercados registram falta de mantimentos, já que não há reabastecimento e a população começa a realizar estoque de alimentos básicos. A nível nacional houveram registros de falta de combustíveis em praticamente todos os estados, bem como suspensão de diversos serviços, como os Correios que suspenderam temporariamente as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje).

Os caminhoneiros protestam contra a dispara do preço do Diesel, que faz parte da nova política de preços da Petrobras, em vigor desde julho. Entretanto, a Petrobras anunciou nesta quarta que o preço do diesel deve cair 1,54% nas refinarias. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de cerca de 8% no ano. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Caminhoneiros em Armazém | Tiago Boeing / O Regional Sul

Em Santa Catarina, segundo a PRF os caminhoneiros voltaram a passar a noite às margens das rodovias e até as 7h30 pelo menos 31 pontos de atenção nas rodovias em Santa Catarina eram registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A paralisação segue sem transtornos em diversos locais. Em Gravatal foram registradas avarias contra veículos que tentaram furar o bloqueio durante a manhã e tarde desta quarta-feira (23). Um caminhoneiro que participa da paralisação no trevo de acesso ao município de Gravatal relata que a previsão é de que os protestos se estendam até sexta-feira (25), praticamente todos os caminhoneiros estão se mantendo no local, mesmo no período noturno. Em Armazém alguns veículos estacionaram em um terreno às margens da Rodovia SC 435.

Município de São Martinho emite nota pública

“Em virtude das paralisações ocorridas com a categoria de transportes de cargas em todo o território nacional, a Prefeitura Municipal de São Martinho vem a público informar que está tomando providências e serão priorizados os setores da educação básica e saúde. Os demais serviços estarão suspensos temporariamente até segunda ordem ou quando a situação estiver normalizada.

Para o transporte de universitários a situação para esta semana segue normalizada, mas pode sofrer paralisação, caso se confirme a suspensão na próxima semana. A coleta de lixo segue normalmente, também.

Lembrando que os serviços que ficarão paralisados, no momento, são os que precisam de abastecimento de combustível para os veículos da frota da Prefeitura Municipal.

Tão logo a situação se normalize, todas as atividades voltam ao normal.”

 

Leia também

Este artigo está em

Join the Conversation