Número de feriados em 2018 divide opiniões de empresários de SC

Restaurantes e hotéis veem boas perspectivas, mas comércio teme perdas

Com 11 feriados em dias úteis ao longo do ano os empresários catarinenses avaliam as possibilidades em 2018. Enquanto o comércio teme perdas nas vendas, principalmente porque a maioria deles possibilitará o prolongamento dos dias de dispensa e a consequente retração no movimento de lojas, setores que se valem destas datas para ampliar a receita, como hotéis e restaurantes, enxergam nestas datas as chances para incrementar o caixa.

Para Ivan Tauffer, presidente da Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC) – entidade que representa mais de 43 mil associados em todo o estado –, não abrir as portas em datas próximas às de pagamento dos salários significará a perda de oportunidade de vendas. “O consumidor está retomando o otimismo e em 2018 teremos muitos feriados próximos aos dias considerados de maior fluxo nas lojas. Os segmentos de vestuário, calçados e de móveis – mais procurados – certamente serão os que mais devem sentir o impacto”, avalia.

Para os empresários do setor de bares e restaurantes, no entanto, as oportunidades são boas, como lembra Raphael Dabdab, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Santa Catarina (Abrasel). “Serão cerca de 10 datas especiais que deverão aumentar o fluxo de clientes nos estabelecimentos, além dos feriados, teremos a Copa do Mundo e eleições que também historicamente geram um impacto positivo”, sinaliza. Os horários dos jogos serão às 7h, 9h, 10h, 11h, 12h, 13h e 16h e, caso o Brasil chegue à final, serão mais quatro jogos.

Estanislau Bresolin, presidente da Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de SC, pondera: “são duas interpretações para o setor: enquanto os estabelecimentos que priorizam o lazer lucram, o movimento de executivos, por outro lado, cai e os hotéis que tem esse perfil, assim como os restaurantes do centro, que tem sua clientela na própria cidade, fecham e tem prejuízo também. O mesmo ocorre com a cadeia do turismo, que engloba mais de 50 atividades comerciais e de serviços. O exemplo está nos shopping’s, onde o movimento aumenta nesses feriados, movimentando as lojas e praças de alimentação”.

Este artigo está em

Join the Conversation