Campeonato Municipal de Futebol de Campo de Armazém

A competição que mais movimenta a cidade de Armazém deve começar no início ou meados do próximo mês. Anteriormente divulgamos que a competição teria seu início no final de março ou início de abril, mas por bem e devido ao clima, o diretor de esportes de Armazém, Adelso de Souza “Terrinha” resolveu antecipar a competição.

No ano de 2019 tivemos a novidade dos jogos pela primeira vez em sua história acontecendo nas comunidades, com Santa Terezinha e Bom Jesus, recebendo uma partida cada comunidade durante a competição. Outra novidade é que pelo menos dois seguranças se fizeram presentes em todos os jogos da Taça José Carlos de Souza. Se no ano de 2018 tivemos uma competição de muita confusão dentro de campo, no ano de 2019 à tranquilidade reino dentro dos gramados, dentro do possível, logicamente. Nenhum incidente foi registrado dentro ou fora de campo.

No ano passado cinco equipes estiveram lutando pelo título e neste ano São Cristovão e Cruzeiro de Bom Jesus não estarão presentes, a novidade será o retorno da equipe do Portal.

A primeira reunião para tratar assuntos referentes a competição foi na noite de ontem (06), no Ginásio Municipal Nelson das Neves, na próxima edição traremos os detalhes da reunião.

A proposta de Comissão Municipal de Esportes de Armazém é que a competição continue sendo realizada nas comunidades, juntamente com o estádio Municipal Paulo Wensing, no centro de Armazém. O número de jogadores de fora do município também estará em pauta.

Devemos ter somente a categoria principal, sem a presença dos aspirantes novamente, já que a maioria das equipes não tem o interesse em colocar mais que um time para jogar. Fazer esporte amador não é fácil e para evitar altos custos os aspirantes não deverão estar em campo.

Após a competição é provável que o estádio municipal Paulo Wensing passe por uma reforma, segundo Terrinha.

Esperamos que neste ano tenhamos uma competição com um bom número de torcedores já que a segurança será reforçada novamente.

Por Lissandro Velho

Este artigo está em

Join the Conversation