Homem confessa ter matado imbitubense em São Martinho e desovado corpo no Rio Duna, em Nova Brasília

Na manhã desta sexta-feira (09), moradores do município de São Martinho perceberam movimentações anormais, na localidade de São Luiz. Veículos policiais e da perícia se deslocaram à região para o cumprimento de um mandado de prisão.

A Polícia Civil de Imbituba cumpriu um mandado de prisão temporária por homicídio contra Dener Inocêncio, e de busca e apreensão em sua residência, no município de São Martinho (limite com Imaruí), na manhã desta sexta-feira (02). Dener é acusado de assassinar o morador de Imbituba, Moisés Ribeiro, com quem negociava um terreno em São Martinho, em setembro de 2017, quando a vítima desapareceu misteriosamente.

À época, a família procurou a Polícia civil que iniciou investigação onde foram obtidas várias medidas cautelares, entre elas quebra de sigilo telefônico, interceptação telefônica (com duas prorrogações), quebra de sigilo bancário, quebra de sigilo telemático, busca e apreensão e acesso ao conteúdo dos celulares apreendidos.

Na Delegacia, nesta sexta (09), ao ser confrontado com o conteúdo das interceptações, já em seu terceiro depoimento Dener confessou o crime, dizendo que teria matado Moisés com dois golpes de facão e atirado o corpo no Rio Duna, de cima da ponte situada entre o bairro imbitubense Nova Brasília e o município de Imaruí.

Segundo o Portal A Hora, de Imbituba, ainda nesta manhã, a Polícia Civil de Imbituba, o autor do crime, e os Bombeiros foram até o local indicado por Dener, onde foi feita a reconstituição do crime, na tentativa de encontrar o cadáver, mas até o momento nenhuma outra pista foi encontrada no Rio Duna.

Crime elucidado

Versão oficial divulgada pela Polícia Civil

A Polícia Civil de Imbituba, juntamente com o IML e o IGP de Tubarão, encontrou nesta sexta-feira, 9, em São Martinho, o corpo de Moises Ribeiro, desaparecido desde o dia 2 de setembro do ano passado. O autor do crime Dener Inocêncio já estava preso desde o dia 2 março, mas só no quinto depoimento confessou que enterrou o corpo em sua propriedade.

De acordo com o delegado regional de Laguna, Raphael Giordani, o suspeito foi identificado por meio de uma intensa investigação que incluiu quebra de sigilo telefônico, interceptação telefônica, quebra de sigilo bancário, quebra de sigilo telemático, busca e apreensão e acesso ao conteúdo dos celulares apreendidos. Todas as medidas foram devidamente autorizadas pela Justiça.

Logo após a prisão, ao ser confrontado com as provas existentes, notadamente com o conteúdo das interceptações, Dener (em seu terceiro interrogatório) confessou a autoria do homicídio. Segundo Dener, ele teria acertado dois golpes na vitima e, em seguida, teria jogado a vitima, que estava desacordada, no interior do Rio Duna. “Dando prosseguimento às investigações, apurou-se que a versão de Dener não correspondia com a realidade”, informou o delegado. Novamente interrogado, o investigado mudou a versão, salientando que havia tirado a vida de Moises com um tiro na nuca e, posteriormente, jogado o corpo no fogo. Ao explicar as circunstâncias do crime o investigado entrou em contradição novamente.

 “Assim que localizamos o corpo, foi acionado o helicóptero do SAER, que contribuiu para a retirada do corpo do local. Agradeço a equipe de investigação de Imbituba, aos tripulantes do SAER, ao IML, ao IGP e a todos que contribuíram para a resolução do caso”, finaliza o delegado Giordani.

Este artigo está em

Join the Conversation