Alesc: Porto de Laguna, bolsas de estudos e liderança do governo destacam sessão

Deputados destacaram investimentos do estado no porto de Laguna e em bolsas de estudos, e a deputada Paulinha (PDT) comunicou que assumiu a liderança do Governo durante a sessão de terça-feira (18) da Assembleia Legislativa.

“O grande desafio era que o terminal pesqueiro de Laguna fosse estadualizado, cobramos um choque de gestão, cobramos do governo uma ação efetiva, ontem o governador esteve em Laguna e prometeu investimentos. Vamos continuar olhando e cobrando”, informou Felipe Estevão (PSL), que reclamou do cerimonial do Executivo por tê-lo impedido de participar do evento.

“O porto de Laguna está passando por um momento diferente, nos últimos quatro meses foram investidos R$ 4 milhões”, afirmou Rodrigo Minotto (PDT), que listou investimentos em videomonitoramento, limpeza, construção de estação de tratamento de esgoto, estudos e licenças ambientais, além da licitação da dragagem.

Minotto também repercutiu previsão do Executivo de repassar R$ 206 milhões para bolsas de estudos dos artigos 170 e 171 da Constituição estadual. Segundo Minotto, em 2018 foram atendidos 17.123 estudantes e em 2019, 25.818.

“Fazendo justiça ao governador Moisés a previsão legal sempre existiu, é obrigação do governador cumprir a Constituição, mas faço mea culpa, governos até do meu partido liberaram montantes muito menores para bolsas de estudos”, revelou Valdir Cobalchini (MDB).

Já a deputada Paulinha informou os colegas que aceitou convite do governador e assumiu a liderança do governo no Parlamento.

“Uma mulher se torna líder do governo pela primeira vez, quero externar a gratidão ao governador que derroga a mim função de tamanha confiança, mas a missão não me põe em sorrisos efusivos, sinto o peso da responsabilidade, deputada de primeiro mandato tenho consciência das minhas limitações, mas não me faltam coragem e disposição para o trabalho”, discursou a líder.

Paulinha elogiou o esforço do ex-líder, Maurício Eskudlark (PL), e reconheceu que o governo tem falhas. Por outro lado, ressaltou os acertos, como a redução da máquina em mais de dois mil cargos e lembrou que os bons resultados também se devem às ações dos ex-governadores Raimundo Colombo e Eduardo Moreira, assim como de deputados que atuaram no Executivo, como Ada de Luca (MDB).

Fonte: Agência AL

Este artigo está em

Join the Conversation