Hospital Santo Antônio: Cleber saiu pela porta dos fundos? – Deivid Arent

Clebir Marciano, mais conhecido por Cleber, foi vereador de Armazém por dois mandatos (2008-2012, 2012-2016), é ex-funcionário da APAE do município na função de motorista, posteriormente exerceu o cargo de presidente da instituição, porém para se dedicar ao cargo de vereador acabou não completando a gestão [de presidente], não sendo permitido exercer ambas simultaneamente [ser vereador e presidente do Hospital].

No início desse ano Cleber foi indicado pelo prefeito de Armazém, José Benjamin Arent (Zé Arent) para ocupar a vaga de diretor do Hospital Santo Antônio, substituindo a ex-diretora Janete Michels Mendes Mendes.

Em 25 de julho, sete meses após sua chegada ao hospital, Cleber postou em sua rede social (Facebook) que divide a mesma conta com a esposa Zeli Marciano (eleita vereadora de Armazém na última eleição e atualmente vice-presidente da Câmara de Vereadores de Armazém). Na postagem Cleber afirma que estava deixando a função de diretor devido a problemas de saúde: “Venho através desta rede social, esclarecer a todos o motivo de minha saída do Hospital Santo Antônio de Armazém. Tinha conhecimento das dificuldades e dos compromissos que iria encontrar. Tentei dar o máximo de mim, juntamente com minha família, amigos, colaboradores, diretoria, médicos, enfermeiros e funcionários. Por motivo de SAÚDE infelizmente tive que me afastar. Saio de cabeça erguida e com dever cumprido…”, Cleber completou agradecendo a administração municipal pela confiança, citou as dificuldades financeiras que enfrentou frente à diretoria, e prometeu publicar um relatório com as melhorias supostamente realizadas, porem até hoje o mesmo não foi divulgado. Três dias depois da postagem, em 28 de julho, utilizou da mesma conta para desabafar a respeito de supostas críticas, mas não revelou os motivos [das críticas]. – “As pessoas criticam porque criticar é muito mais fácil do que fazer. Não me preocupo com os caluniadores e falsos…”, e afirma que sua mente está livre e em paz.

Procurado, Cleber não quis se manifestar oficialmente, apenas informou que muita coisa ainda acontecerá e que irá esperar tudo se resolver. O que é possível perceber é que fica claro que segundo o mesmo, há muitos detalhes que não são de conhecimento popular, por esse motivo acredito que este assunto deve ser debatido e a população merece o devido respeito. Se há algo “por de trás dos panos”, é importante se esclarecer imediatamente.

Na última segunda-feira (28) o prefeito de Armazém, Zé Arent, concedeu entrevista exclusiva a minha coluna para comentar o caso (sobre o pedido de demissão). “Ele pediu para sair, colocou uma publicação em sua rede social (Facebook) afirmando que a saída está relacionada a problemas de saúde. Eu não posso falar diferente do que foi publicado por ele [na rede social], se eu falar o contrário, não tenho como provar?”, ressalta Zé Arent. O Prefeito também citou os motivos que o levaram a nomear o ex-vereador Cleber para a função de diretor do Hospital: “Nós precisávamos de alguém, e colocamos ele. Trabalhou muito tempo na APAE, que também tinha um envolvimento com o Hospital, por causa do atendimento às pessoas especiais”. Logo em seguida o prefeito Zé Arent insinua em uma de suas frases que ter colocado Cleber a frente da diretoria do Hospital talvez tenha sido um erro. “A gente busca acertar em cada local, mas nem sempre isso é possível, nem sempre é cem por cento, uma vez ou outra acabamos errando. Cabe, a medida que as coisas vão andando irmos acertando os detalhes”. Ao perguntar se há algum arrependimento pela nomeação do diretor, o prefeito responde: “Como eu já fiz, não há como se arrepender, agora o jeito é ir tentando acertar.”

Em conversa extraoficial com um vereador do munícipio, fui informado que o ex-vereador e diretor do hospital Cleber, teria deixado o cargo pelo fato de ter cometido supostas irregularidades no decorrer da gestão, mesmo sendo da base aliada da atual gestão municipal, o mesmo ainda ressaltou: “sempre foi considerado uma pedra no sapato de seus aliados”, ressalta que inclusive teria exigido o cargo de secretário de saúde, porém este foi um desejo não atendido, já que o ex-vereador Vanclei da Silva acabou assumindo a função. Este fato foi confirmado pelo prefeito Zé Arent: “não foi só ele (Cleber), teve mais seis que cresceram o olho, eles só queriam a secretaria da saúde, nós [a administração] nunca prometeu a ninguém, era apenas uma vaga, tivemos que escolher um”.

Zé Arent afirma não cogitar remanejar Cleber para outra área: “Acho que ele está no seguro desemprego [não tem certeza], não tem nada conversado com ele nesse sentido [de remanejá-lo]”. Zé também foi questionado sobre a possibilidade de perder o apoio da vereadora Zeli, esposa do ex-diretor Cleber. “Já conversamos com ela, veio várias vezes aqui e continua nos apoiando na câmara de vereadores, com relação a isso acho que não acontecerá”.

Zé fez questão de ressaltar que em outras áreas ele acertou. “Na maioria dos cargos nós acertamos, são pessoas que tem conhecimento em cada área, está tudo tranquilo”. O Prefeito fez questão de citar o nome de seus secretários, fazendo menção ao bom relacionamento que mantém com os representantes de cada setor. Hoje o cargo de diretor do Hospital Santo Antônio está sendo ocupado interinamente pelo secretário de saúde do munícipio, Vanclei da Silva.” Segundo o Prefeito de Armazém, a situação não deve mudar até o final de 2017. “A princípio vai ficar assim, para esse ano não pensamos em ninguém, enquanto ele (Vanclei) conseguir conciliar, vamos deixando assim, até porque ele gosta dessa área, já trabalhou muitos anos no Hospital”.

Muitos fatos chamam a atenção nesse caso, uma delas é o fato do ex-diretor supostamente estar no seguro desemprego como indicou [incerteza] o prefeito Zé Arent. Contudo, Cleber só poderia estar nessas condições trabalhistas, caso fosse demitido, o que segundo o próprio não aconteceu, ou será que aconteceu? Fica a “pulga atrás da orelha”. Acredito que o mais correto seria o ex-diretor estar apenas afastado da função, para que pudesse tratar dos “problemas de saúde”, vale lembrar que em nenhum momento foi divulgada qual seria a doença ou sua condição de saúde ou tempo de tratamento. Nem mesmo o prefeito sabe informar quais são os problemas de saúde. Cleber não é obrigado a divulgar, mas sem dúvida seria uma maneira de demonstrar transparência para com a sociedade.

Um vereador da oposição, diz ter questionado o afastamento de Cleber e que chegou a conversar com o prefeito na câmera de vereadores, ele teria solicitado a prestação de contas do Hospital, no período em que Cleber esteve na instituição, e segundo o mesmo até então não foi recebido nenhum documento. Todavia foi apenas esse o caso de manifestação, não acham que é muito pouco o que se sabe perante tantas dúvidas? Vale lembrar uma frase do filósofo Mario Sérgio Cortella “Um concorrente burro te emburrece! Um adversário fraco te enfraquece! Uma oposição frágil, fragiliza um governo!”. Sempre é bom ter um certo cuidado para não sair pela porta dos fundos…

Este artigo está em


Join the Conversation