E agora, quem poderá nos defender? – Deivid Arent

O problema das enxurradas e enchentes passou a ser algo comum na vida dos brasileiros. Infelizmente, todo ano é a mesma coisa: entre os meses de dezembro e fevereiro os noticiários são tomados por problemas relacionados com as inundações de ruas e casas, desencadeando uma série de tragédias que, quase sempre, poderiam ser evitadas.

Em Armazém o problema tem feito parte do cotidiano da população, e infelizmente não é de hoje. Talvez as últimas enxurradas possam estar servindo para comprovar a ineficiência do poder público, não apenas da atual administração, pois enfrentamos estas dificuldades há muitos anos.
Já “estivemos nas mãos” de diferentes autoridades, mas até hoje não foi possível visualizar, nem mesmo um plano de governo com relação as consequências das fortes chuvas. Basta aguardar para sabermos se o “bastão” vai ser passado para os próximos a serem eleitos.

Dados de pesquisas com perfil dos municípios brasileiros, divulgada pelo IBGE, mostram que alagamentos deixaram 2,1 milhões de pessoas desabrigadas ou desalojadas entre 2008 e 2012. No período, 2.065 municípios foram atingidos por enchentes ou enxurradas.

Temos vários responsáveis pelo que está acontecendo. Um problema que parece não ter uma solução imediata é o elevado índice de poluição, causado tanto pela ausência de consciência da população, quanto por sistemas ineficientes de coleta de lixo ou de distribuição de lixeiras pelas cidades, cabe reflexão. Há problemas causados pela poluição gerada por empresas e outros órgãos em vários locais.

Rádio Cidade Amiga / Reprodução ORS

Nós eleitores temos grande parcela de culpa, pois nos últimos processos eleitorais para a escolha dos representantes do município, não demos o devido valor a estas questões, hoje pagamos o preço. Não é aceitável votarmos em candidaturas que não apresentem um plano bem estruturado com relação a esse tema, caso haja, está na hora de colocar em prática ou é hora de buscar forças, precisamos de humildade para que o poder público possa ouvir especialistas da área e convidar a população para participar desse processo.

Nunca é tarde para corrigir nossos erros, é uma questão complexa, mas necessária, unir esforços é fundamental. Sabemos que há dificuldades financeiras nos municípios, mediante a crise que o país enfrenta, porém não é inteligente acreditar que o “Chapolin Colorado” vai resolver os problemas das enxurradas e enchentes.

Este artigo está em

Join the Conversation