Armazém: imagens de um passado

Cidadãos armazenense com mais de 14 anos provavelmente ainda guardam na memória à tempos em que esculturas contavam a história de Armazém nos muros da Escola de Educação Básica Monsenhor Francisco Giesberts, bem no centro da cidade. Era quase que uma rotina de quem passava por elas (as esculturas) sentir uma grande necessidade de colocar aqueles trabalhadores e até os cavalos para fumar um “cigarrinho”. O que acontecia era uma grande disputa, se você colocasse um cigarro hoje e passasse amanhã, poderia se considerar a pessoa mais f*** (feliz) se ele (o cigarro) ainda estivesse lá.

esculturas do mural do colegio antigo 1998 crédito Wilson A. Boeing (1)
Wilson Boeing/ORS

Pois bem, a alegria não durou muito tempo, já que após anúncio da construção das novas instalações da Escola as esculturas seriam destruídas, houve certa resistência na época, porém a morte do muro estava selada, o que acabou acontecendo. Coitado deste muro que não conseguiu tirar sua carteira de motorista, atingindo a maioridade (18 anos), pois bem, hoje poderia servir como um diferencial para este município que do turismo pouco explora.

esculturas do mural do colegio antigo 1998 crédito Wilson A. Boeing (2)
Wilson Boeing/ORS

Se foi possível retirar os segmentos do muro de Berlim, transportam o muro a outro local e preservar a história do município não seria um problema.

*Esta matéria possui como finalidade descontração e humor, não possuindo caráter informativo. A cópia de uma ou mais imagens sem a citação de créditos é crime. Pense nisso!

esculturas do mural do colegio antigo 1998 crédito Wilson A. Boeing
Wilson Boeing/ORS
Este artigo está em