Sem noção

Perdeu a noção, o prefeito do município de Jaguaruna, que passará por momento histórico no próximo dia 27 de abril, quando do primeiro vôo comercial no Aeroporto Regional Humberto Bortoluzzi. Primeiro ato falho foi não ter licitado o serviço de táxi que irá operar naquele aeródromo, pois os passageiros ao desembarcarem ficariam a ver navios, não fosse à solução emergencial, que a empresa administradora do aeroporto encontrou contratando serviço de carros executivos. Falta planejamento, e tato político e principalmente iniciativa aos governantes da região sul, Criciúma se isola, com um bairrismo impressionante, ao invés de apoiar e fomentar a demanda do novo aeroporto. Quanto aos prefeitos da região litorânea falta-lhes uma aula de empreendedorismo e de gestão pública.

Potencial a ser explorado

Entenda meu ponto de vista, para quem já utilizou de serviço aéreo, principalmente a classe política que o faz cotidianamente, sabe que os aviões das empresas áreas que irão operar estarão realizando procedimento de aterrissagem e aproximação sobre o nosso rico litoral, sobre Garopaba a aeronave deverá começar este procedimento, sobrevoando Imbituba, Laguna e Jaguaruna fazendo com que passageiros vindos de São Paulo, possam vislumbrar de uma paisagem magnífica e belíssima de nossas praias. Ora, nada melhor do que nosso litoral, para chamar atenção de investidores de todas as partes do país e do exterior, afinal São Paulo é o centro financeiro do país e de lá partirão os vôos trazendo, empresários, turistas, profissionais liberais e todo público dos quais se utilizam desses serviços. Ao que tudo indica não se deram conta que não há nenhum aeroporto a cinco quilômetros da BR 101, a vinte minutos da praia ou de Tubarão cidade pólo. Estão subestimando o potencial de nossa região, muito pior não estão preparados para receber a demanda de passageiros que estão para desembarcar nos próximos dias, tanto que os vôos das primeiras semanas estão esgotados, com exceção de Laguna e Tubarão que possuem rede hoteleira, o município de Jaguaruna não está preparado para este evento, que se tornará um fato histórico, será permanente e propulsionará o turismo e a economia de tal maneira que lideranças políticas municipais, estaduais e federais, que representam a região, infelizmente ainda não se deram conta. Por fim, encerro este comentário lamentando o descaso e despreparo de nossa classe governante.

Apaziguando

O clima tenso, entre os vereadores de oposição e a bancada de situação, com troca de farpas e acusações, nas sessões da Câmara de Vereadores de São Martinho tem feito com que o presidente da casa legislativa Wanio Effting (Fred), tenha que intervir e acalmar os ânimos dos nobres edis, parece que a período de calmaria passou, inicia-se tempos de turbulência. Lamentável, município pequeno como São Martinho, o foco deveria ser a união das siglas em favor da população.

Queixas

Por sua vez o presidente da câmara de Armazém, tem se queixado que com a alteração das leis trabalhistas, vereadores tem se licenciado por motivos de doença, mas o ônus cabe ao empregador e não ao INSS, onerando dessa forma as finanças da câmara municipal.

Este artigo está em