Tubarão: Obra das cabeceiras da ponte de congonhas segue com evolução

A construção das cabeceiras da ponte sobre o Rio Congonhas iniciou em outubro passado e mantém uma evolução em cada etapa da obra. Com a cabeceira do lado de Tubarão concretada, funcionários da empresa Engeton, construtora responsável, já iniciaram a colocação dos guarda corpos. Na próxima semana será concretada a cabeceira do lado de Jaguaruna.

“A empresa venceu pelo menor preço apresentado, cerca de R$ 1.898.001,91 (Um milhão, oitocentos e noventa e oito mil, um real e noventa e um centavos). Estamos acompanhando todas as semanas e a obra apresenta uma evolução. Com certeza, em breve poderemos utilizá-la”, afirma o secretário executivo da ADR de Tubarão, Nilton de Campos.

Ao contrário do que foi feito pelo lado de Tubarão, em Jaguaruna a concretagem vai ser feita de uma vez só, as bases e a cabeceira. “O trabalho de ferragens pelo lado de Jaguaruna será concluído até sexta para que na semana seguinte seja colocado o concreto”, declara Nilton.

Eduardo Zabot / ASCOM ADR Tubarão / Divulgação ORS

A Ponte

A ponte que fica localizada no bairro Congonhas, faz divisa com o município de Jaguaruna e foi demolida pelas prefeituras em Janeiro de 2014. Sem solução para resolver o problema da passagem dos veículos, o Governo do Estado assumiu a responsabilidade da construção da ponte, sendo acordado na época, que as prefeituras iriam construir as cabeceiras. Em 19 de março de 2014 houve a descentralização dos recursos e a licitação. Em junho do mesmo ano foi entregue a ordem de serviço.

No fim da obra, em agosto de 2015, as prefeituras não tendo recursos para construir as cabeceiras, tentaram resolver, mas sem sucesso, com isso a construção das cabeceiras por parte das prefeituras foi suspensa pela ADR de Tubarão. O Governo do Estado verificou então, que houve um erro no projeto, e não havia o complemento das cabeceiras. Mas uma vez o Governo assumiu a responsabilidade que era das prefeituras e em fevereiro de 2016 o projeto complementar ficou pronto.

Este artigo está em

Join the Conversation