Caçadores de Pokémon são assaltados em Tubarão

Três adultos que jogavam Pokémon Go próximo à Catedral de Tubarão na noite desta terça-feira foram assaltados. A ação foi praticada por outro trio, que usou uma faca para ameaçar as vítimas e fugiu levando dois celulares. Os aparelhos foram recuperados em seguida pela Polícia Militar.

Febre mundial, o Pokémon Go chegou ao Brasil na quarta-feira passada e logo virou moda entre os tubaronenses, que passaram a ocupar espaços públicos da cidade para caçar as criaturas do jogo e batalhar entre si.

Um desses espaços públicos, onde os bichos podem ser vistos pela tela dos celulares dos jogadores, fica justamente na Catedral da Cidade Azul. Dezenas de pessoas caçavam pokémons no local na noite do assalto.

Segundo a PM, o fato aconteceu por volta das 23h30. As três vítimas relaram que foram abordadas por dois homens e uma adolescente. Eles fizeram ameaças com uma faca de cozinha e pediram que as vítimas entregassem os celulares.

A polícia foi acionada logo em seguida, fez rondas pelas proximidades e encontrou três suspeitos, de 20, 19 e 17 anos. Na casa de um deles, os policiais encontraram os aparelhos celulares e a faca usada no crime. Também foram apreendidos quatro pés de maconha que estavam na residência. Os dois adultos e a adolescente foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil.

Sobre o jogo

O Pokémon Go é um jogo eletrônico de realidade aumentada usado em smartphones. Ele permite aos jogadores capturar, batalhar e treinar as criaturas virtuais, os pokémons, que aparecem nas telas dos dispositivos como se fossem do mundo real. O aplicativo foi lançado na Austrália, nos Estados Unidos e na Nova Zelândia no dia 6 de julho.

Delegada faz alerta e destaca cuidados

A delegada Vivian Garcia, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso – DPCAMI de Tubarão, aproveitou o fato para alertar a população sobre os cuidados na hora de jogar Pokémon Go.

Para Vivian, o aplicativo exige concentração das pessoas e faz com que elas se tornem alvos fáceis para os criminosos. “É importante que a gente faça esse alerta, porque há muitas pessoas jogando. A nossa indicação é de que as pessoas não usem o celular na rua durante a noite”, comenta a delegada.

Ela também chama a atenção dos pais, visto que boa parte dos jogadores são crianças. “É importante que os pais orientem os filhos para que tomem cuidado ao usar o celular em locais com pouca movimentação de pessoas”, destaca Vivian.

Com informações do Jornal Diário do Sul

Este artigo está em

Join the Conversation