XIX Encontro de Mulheres Agricultoras aconteceu em Armazém

O 19ª encontro de mulheres agricultoras realizou-se na manhã desta quarta-feira (05), no Salão Paroquial de Armazém. Promovido pela ASTRUVALE (Associação dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais da Microrregião do Vale do Rio Tubarão), em parceria com as Epagri regionais. Este ano o objetivo destinou-se a confraternizar e prestar uma homenagem ao Dia da Mulher, a abertura do evento foi realizada pela Técnica da Epagri de Armazém, Jandira Schueroff que cumprimentou as autoridades presentes.

O público em geral, composto por mulheres agricultoras dos município de Armazém, Braço do Norte, Grão Pará, Gravatal, Imaruí, Imbituba, Jaguaruna, Pedras Grandes, Sangão, São Martinho, Santa Rosa de Lima e Tubarão. Estiveram presentes prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, presidentes dos sindicatos, coordenadores, entre outras autoridades.

O Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Armazém, Sergio Francisco Silvano, frisa que a preocupação é com os direitos já conquistados, pelas agricultoras, sindicatos, representantes e federação, direitos trabalhistas e previdenciários, que justamente é a luta de hoje, estamos pedindo apoio de todo o município e até dos dirigentes políticos, que peçam votos aos deputados federais, para que sejam contra este projeto (de reforma), pois isto prejudicará muito os agricultores, este foram direitos adquiridos com muito esforço.

O Gerente da Epagri de Tubarão, Gustavo Claudino, um dos parceiros do evento, diz que as mulheres estão sempre atuando e participando. A Epagri busca sempre apoiar todo evento e movimento que envolva as agricultoras, pois toda informação é um complemento a mais na vida de cada uma delas, lembrou também que a Epagri possui um encontro semelhante e que este ano será realizado em Grão Pará, no mês de junho. O público esperado é de cerca de 900 mulheres agricultoras.

O encontro desta quarta-feira teve seu foco no Projeto de Emenda à Constituição – PEC 287, que trata sobre a Reforma da Previdência Social. O palestrante, advogado Dr. Edson de Carvalho, do município de Tubarão, abordou o assunto e ressaltou que o projeto pretende acabar com os direitos dos trabalhadores, sendo que os ‘benefícios’ adquiridos pelos agricultores são oriundos de muita luta. “Há anos atrás as mulheres não possuiam os mesmos direitos que homens, mas com muito esforço, e lutando obteram êxito nesta conquista.”, também complementou afirmando que toda classe trabalhadora deve ficar atenta e participar de qualquer evento sobre o tema, visitando as câmaras de vereadores, participando de manifestações, pois isto não é uma reforma e sim uma extinção de direitos previdenciários.

A agricultora Nair Laureth, da comunidade de Santa Terezinha, município de Armazém, frisa que considera injusto tentarem aprovar uma lei em que o trabalhador se aposente depois de 60 anos de idade, “espero que eles pensem melhor e aprovem algo que seja realmente bom para toda a classe trabalhadora, inclusive nós que somos agricultoras”.

Além do palestrante Edson esclarecer algumas informações e alertar sobre o assunto, muitas pessoas tem suas opiniões. O presidente do Sindicato de Braço do Norte e da associação de sindicatos da região, Adriano Schurhoff destaca que esta PEC pode ser interpretada como “projeto da maldade”, principalmente para os agricultores que contribuem da mesma forma com a previdência. “É uma classe que merece respeito de todos, porque trabalham todos os dias, no campo não há feriados, finais de semanas. Todo o esforço é para gerar produtos de qualidade à sociedade, o homem do campo trabalha muito para abastecer os grandes centros, o fato de aumentar a idade e demais fatores da previdênciários torna-se um desrespeito, são direitos que estão sendo roubados.”

O encontro contou com a presença da psicóloga Denise Beltrame que orientou as agricultoras sobre o tema Qualidade de Vida. Sua palestra abordou uma dinâmica diferenciada, trabalhando corpo, mente e respiração, sendo conduzida com temas sobre hábitos saudáveis, incluindo alimentação e atividades físicas, que melhoram a saúde.

O encontro teve início às 9h30min com continuidade à tarde, onde houve sorteio de brindes, sendo encerrado por volta das 15h. A organização estima que cerca de 500 mulheres agricultoras compareceram.

Este artigo está em

Join the Conversation