Uma vida dedicada ao Sacerdócio e Amor ao próximo

Tem um velho ditado que diz que “ser Padre não é para qualquer pessoa, já que há muito a ser feito e há também o lugar dos corajosos que aceitam o desafio de Jesus Cristo”.

Nesta edição vamos conhecer um pouco mais a inspiradora história de um Sacerdote e um exemplo de ser humano que segue a mais de sete décadas se dedicando no bem ao próximo.

 

Nascimento e decisão para com a vida religiosa

No pequeno município de Rio Fortuna, na época Distrito de Tubarão, sul de Santa Catarina, nasceu no dia 21 de junho de 1923, uma corajosa criança chamada Marcos Hemkemeier. Filho dos agricultores Bernardo Hemkemeier e Helena Buss que trabalhavam duro para o sustento de dez filhos chamados, Frederico (in memoriam), Isabel (in memoriam), Nicolau (in memoriam), Valter (in memoriam), Marcos, José (in memoriam), Luiz, Martinho (in memoriam), Maria e Ana, todos criados no interior do Distrito. O jovem Marcos trabalhava na agricultura com os Pais, até que surgiu a oportunidade para trabalhar na casa Paroquial de Rio Fortuna, que desde o ano de 1958 à cidade tornou-se município. O contato com Jesus Cristo determinou qual seria a profissão do jovem Marcos, como ele mesmo afirma, “desde pequeno eu sabia que seria Padre, que é o título atribuído ao ministro religioso na Igreja Católica Romana, Ortodoxa e Anglicana. Nossa família era e continua sendo muito religiosa e a aproximação com Jesus Cristo, através da oração, fez com que eu me decidisse a seguir na vocação de Padre”.

 

O início na vocação

Após estar decidido em o que fazer na vida adulta, padre Marcos começou os estudos, “ainda novo eu decidi seguir nessa vocação e fui estudar no Seminário Sagrado Coração de Jesus, que foi fundado no ano de 1928, na cidade de Corupá. Lá fui muito bem acolhido e recebi estudos exatos para a vocação, como Latim, Filosofia, Teologia e muitas outras disciplinas. Também aprendíamos a orar e aprender como levar a oração ao próximo com muito amor”. A identificação com os métodos de ensino se encaixaram como uma luva na vida de Marcos, “quando tive a oportunidade de ir para o Seminário, sabia que iria gostar, porém eu não sabia que estando lá como interno, eu iria ser contemplado com a graça divina e foi possível aprender muito neste período”.

 

Agregando um nome

Talvez você esteja se perguntado mas quem é Marcos Hemkemeier, já que o homenageado desta página é conhecido por outro nome. O Padre Marcos (última vez que assim o chamaremos), explica, “meu nome de batismo é Marcos Hemkemeier, mas quando nós entramos no noviciado, que é o período da formação de um religioso ou de uma religiosa, que precede a emissão de seus votos, podemos acrescentar um nome e através de uma sugestão de um Padre, eu adotei como primeiro nome Sérgio, já que gostei do nome. Mamãe de início não gostou, depois ela aceitou com naturalidade (risos).” A escolha foi certeira, já que hoje ele é conhecido como Padre Sérgio Hemkemeier.

 

Rio de Janeiro e Minas Gerais

Após a formação, os primeiros passos na atuação como sacerdote foi no estado do Rio de Janeiro, “após minha formação fui atuar na Penha, no Rio de Janeiro e não tive nenhuma dificuldade em me adaptar em uma cidade daquele tamanho. Tenho excelentes lembranças e uma delas que me marcou quando era jovem, foi que após um sermão as pessoas vieram até mim e saíram me carregando no meio do povo. Logo após atuei por 36 anos no estado Minas Gerais. Tive a oportunidade de ser diretor do colégio Nossa Senhora, em Lavras e posteriormente no colégio militar, como professor de filosofia”. Histórias não faltam e gratidão também naquele período, “uma vez um sargento veio até minha pessoa e perguntou quais as reclamações sobre o colégio, respondi para ele que não havia nenhuma, já que os alunos sabiam que o amor era importante e a disciplina para com a vida também. Sou muito grato aquele povo, já que sempre fui muito bem aceito e trabalhei sempre com muita alegria e com muito amor, como ainda faço nos dias de hoje”.

 

Santa Catarina

Após um período em outros estados, educando e exercendo o sacerdote, Padre Sergio retornou para Santa Catarina no início dos anos 90, mais precisamente para a cidade de Brusque, como ele mesmo relata, “depois de muitos anos distante do meu estado de origem, fui determinado pelo superior, que determina aonde vamos trabalhar, para ir trabalhar em Brusque, lá fiquei aproximadamente cinco anos pregando o sacerdote e continuado na atividade de professor de Filosofia”.

 

Armazém

Quando estava trabalhando em Brusque veio o comunicado de uma nova mudança de endereço, “sempre digo que aonde eu estiver, eu estarei no reino de Deus e por isso nunca fiz opção, sempre obedeci. Desta maneira, no ano de 1995 fui designado a me mudar para Armazém”. Mais uma vez a recepção foi agradável, “quando cheguei em Armazém fui recebido com muita educação e com muito amor. Gosto muito daqui e me sinto em casa na cidade de Armazém, também aproveito a proximidade com Rio Fortuna para sempre que possível visitar meus familiares”.

 

Aceitação nos caminhos da vida

Perguntado se algo vêm o marcando nesta passagem, Padre Sérgio responde, “o que mais vêm me marcando nesta vida é a aceitação do povo com minha pessoa, todos tem me aceitado com muito amor e eu amo à todos de coração e alma. Vejo muitas pessoas com atitudes e comportamentos adequado e por isso acredito nas pessoas. Tudo tem solução, basta querermos aceitar a Jesus Cristo”. Sem dúvida a aceitação do religioso é algo fora do normal e com sua simplicidade, bondade, humildade e conhecimento, Padre Sérgio tem uma legião de fiéis e admiradores.

 

Trabalhos nos dias de hoje

Com bastante experiência e amor naquilo que faz, Padre Sérgio continua trabalhando e atendendo a todos com, muito amor, são muitos que continuam pedindo conselhos ou uma benção, “estudei Parapsicologia e sou visitado por muitas pessoas ao qual tenho o maior prazer em fazer atendimento espiritual, já que o corpo morre, mas a alma jamais. Podemos escolher entre o bem o mal, mas somente quem faz o bem que chegará ao reino do Céu. Nossas ações também irão para a eternidade e nesse sentido que oriento a todos”.

 

Mensagem

Padre Sérgio Hemkemeier deixa uma mensagem para o povo, “gostaria de dizer para todos terem sempre esperanças e boas intenções, nada que a gente reza ou faz é perdido, devemos cada um de nós acreditarmos em nós mesmos, confiar em Deus e acima de tudo continuar com o Amor na vida”. Fica os agradecimentos, “sou muito grato por tudo e sou muito feliz nesta vida, principalmente aonde estou. Gostaria de pedir a Deus que continue abençoando cada um de vocês”.

Padre Sérgio Marcos Hemkemeier, completou no mês de julho, 71 anos de Sacerdócio e 74 anos bem vividos de vida religiosa. Seu sacerdócio não é marcado apenas pela longevidade, o que já seria maravilhoso, afinal, falamos de Jubileu de Platina, graça concedida a poucos, mas também pelo Amor ao próximo e na função ao qual exerce como ser humano.

Por onde passou, semeou como padre e como educador, a alegria e a beleza de viver com virtude de seguir, sem desvios, a direção indicada pelo senso de justiça, pelo julgamento justo, pela virtude de estar em conformidade com a razão, com o dever, integridade, lisura, honestidade e acima de tudo demonstrando sempre muita transparência no excelente ser humano ao qual é.

E, como diria Santo Agostinho “A busca de Deus é a busca da alegria. O encontro com Deus é a própria alegria”. Amém.

Por Lissandro Velho

Este artigo está em

Join the Conversation