Do trabalho veio a superação e as mudanças

No dia de hoje vamos conhecer um pouco mais da história de Gabriel Bianchet, ex-prefeito de Armazém por dois mandatos e Presidente da Cooperzem por muitos anos.

Infância

Nascido na cidade de Pouso Redondo, no dia 15 de maio de 1946, Gabriel, filho mais novo de sete irmãos, teve uma infância típica do interior do estado, com muita diversão e trabalho, “meus pais, Abel e Maria, ambos já falecidos, trabalhavam na agricultura. Todos da casa ajudavam, plantávamos principalmente arroz, tanto é que até os dias de hoje tenho sobrinhos que plantam arroz.” Desde o início a vida não foi fácil, como ele mesmo argumenta, “infelizmente perdi minha mãe com apenas um ano e oito meses, tudo ficou difícil, porém meu pai depois de um tempo teve outra companheira e fui criado pelos dois. No relacionamento deles nasceram mais quatro crianças, aumentando para dez o número de irmãos”.

Amadurecimento e mudança de profissão

Serão sempre as quedas na vida que nos amadurecem, que nos preparam e fortalecem para novos desafios e com o jovem Gabriel não foi diferente, “eu trabalhei por dezoito anos na agricultura e amadureci bastante ao lado da minha família, foi ai que um dia resolvi seguir os passos de um dos meus irmãos e me mudar para Presidente Getulio. Ele trabalhava como dentista prático (na época era permitido) e comecei a seguir seus passos. Deixei a agricultura e inicie na profissão de dentista prático, aonde atuei por 30 anos”.

Mudança para Armazém

Com o novo trabalho surgiram oportunidades para Gabriel, como ele mesmo cita, “graças ao meu trabalho como dentista prático, recebi o convite do saudoso Boaventura May, que colocou um mercado ao lado da antiga farmácia do falecido João Araújo e como ele tinha um escritório, já que ele também era dentista prático, eu comecei a trabalhar e me dediquei bastante a essa profissão”. Foi na década de 60 que Gabriel Bianchet veio para Armazém e ele conta como foi a recepção do povo, “no ano de 1966 eu me mudei para Armazém em definitivo e já de início em simpatizei com a cidade. Graças a Deus eu consigo fazer amizades com facilidade e a recepção da população comigo realmente foi muito boa. Tenho bons amigos nesta cidade que adotei de coração e apesar de não agradar a todos, eu gosto muito deste município e não somente de Armazém, mas posso citar também os municípios de São Martinho e São Bonifácio, ao qual eu tenho um grande carinho e gosto muito das pessoas desses municípios”.

Convite para integrar atividades sociais e hospital Santo Antônio

O tempo foi passando e Gabriel foi fazendo muitas amizades, inclusive de autoridades do município e as oportunidades de trabalhar em prol de causas sociais foram aparecendo, “na época do prefeito Antônio David Filetti eu fui convidado para administrar o hospital Santo Antônio de Armazém e lá estive por muito tempo. Continuei atuando como dentista, mas também fiz parte, além do hospital, do grupo de irmãos, atuei como coordenador de Paróquia e tantas outras atividades sociais.” Durante a época que esteve a frente do hospital boas lembranças ficaram na memória de Gabriel, “trabalhei bastante tempo como administrador do hospital e tenho grandes recordações, porque nosso hospital vivia lotado e tínhamos fila para cirurgias, vinham pessoas de todos os lugares do estado e tudo isso porque tínhamos dois cirurgiões que não tinham preguiça e eram excelentes profissionais, por isso não posso deixar de citar o nome do Dr. Nicolau Fernandes Kruel e do Dr. Roque Batista Velho, verdadeiros campeões e que construíram um centro cirúrgico da melhor qualidade . Sempre admirei a amizade que eles tem e a maneira que trabalhavam.Tivemos muitos médicos bons naquele época e ainda temos o Dr. Francisco Clemente Scharf que é um grande médico também”. Há alguns anos o hospital de Armazém enfrenta dificuldades, “infelizmente nosso importante hospital enfrenta dificuldades nos dias de hoje, antigamente não tínhamos festa e nem ajuda da prefeitura, nós conseguíamos manter o hospital por nós mesmos. Possuímos fundo rural ao qual vinham recursos e na minha época que implantamos o credenciamento com o INPS. Infelizmente o pessoal cochilou e o hospital perdeu o credenciamento de filantrópico, ao qual tínhamos o direito de economizar com INSS dos empregados e era uma grande economia”.

Cooperzem

No ano de 1981 Gabriel assumiu como Presidente da Cooperzem e já de início viu que enfrentaria um grande desafio, “quando assumi na Cooperzem tive o apoio do presidente da cooperativa de Braço do Norte o saudoso Gilson Claudio, foi ele quem me ajudou levantar a Cooperzem, juntamente com meus colaboradores. A Cooperzem estava indo ladeira abaixo e o estado iria pegar. De início eu não queria, porque eu só sabia arrancar dentes e fazer dentaduras, mas fui encorajado e acabei assumindo. Já no início vi que os desafios seriam imensos, mas trabalhamos bastante e os superamos”.

Melhoria na Cooperativa

Em uma época que a energia e as redes elétricas eram precárias, mudanças aconteceram na Cooperativa, ao qual assumiu, “na época que assumi os postes eram todos de madeiras e caso um caísse era uma batalha para consertarmos já que praticamente não tínhamos veículos, para se ter uma idéia o Chico da Luz, o Abrão Silveira e o Renato Michels saiam de bicicleta com o bastão para atender a população. Outra dificuldade era que os postes eram de madeiras, um caia para um lado o outro caia para o outro lado, era uma grande dificuldade e tristeza. Com muita luta trabalhamos bastante e começamos as melhorias na Cooperzem. Trocamos os postes de madeiras por postes de concreto, adquirimos veículos, melhoramos as redes de energia, melhoramos os transformadores, colocamos cruzeta de concreto e um isolador de uma potência maior, já que possuímos de potência de 13.800 volts e mudamos para 25.000 volts, foram muitas as melhorias e lógico construímos três usinas e o povo que é inteligente sabe que não deixei ninguém sem chegar energia. A Cooperzem também cresceu em números de sócios, de início eram 836 associados e quando eu sai eram mais de 3.000 associados, isso no primeiro mandato”. A evolução em termos de energia elétrica nos três municípios que abrangem a Cooperzem realmente deram um salto qualitativo na gestão de Gabriel Bianchet, “as trovoadas chegavam a queimar mais de trintas transformadores em um dia ruim, não tinha nenhum na reserva, vi que era uma necessidade e quando eu sai tinha 130 na reserva”.

Prefeito Municipal de Armazém

Gabriel foi prefeito municipal de Armazém por dois mandatos pelo Partido Progressista (PP), ao qual é filiado até os dias de hoje. Os mandatos foram 2000 até 2004 e 2004 até 2008 e seguiu a linha de pensamento em melhorar a situação da população armazenense, “a população viu minha dedicação frente a Cooperzem e o Tadeu Wensing me convidou para concorrer a candidato a prefeito, juntamente com o Antônio Feuser. Para nossa surpresa vencemos com certa facilidade e na eleição do segundo mandato a diferença praticamente dobrou e conseguimos 311 votos de diferença”. Assim como não poderia deixar de ser, os desafio em uma gestão municipal surgiram já de imediato “mais uma vez a dificuldade foi imensa, tinha muito coisa desorganizada e aos poucos fomos colocando o trem nos trilhos conseguindo fazer muitas obras, como por exemplo, calçamos e asfaltamos grande parte da cidade, construímos a casa do agricultor, casa familiar rural, casa de geração de renda, o centro comunitário de Mãe Peregrina, aberturas de estradas do interior, aonde chegamos a arrancar pedras que dificultavam a vida dos motorista, enfim trabalhamos bastante para o povo de Armazém.” Os dois primeiros anos foram os mais difíceis, já que os recursos de fora eram pequenos, “passei muita dificuldade com o Esperidião Amim, que era o governador, ele pegou o estado quebrado e não pode fazer muita coisa. Não valia nem a pena ir no governo federal porque a negação era constante. Tudo mudou com o Lula no poder, não sou PT, mas não posso negar que o Lula foi um presidente que olhou para os pequenos municípios de nosso Brasil e disponibilizou muitos recursos para Armazém”.

Processo e família

Em 2014 Gabriel foi afastado de sua gestão da Cooperzem devido a denúncias de irregularidades, período mais difícil em sua vida, “a Cooperzem fazia parte da minha família e fui acusado de irregularidades. Passei por momentos muitos tristes e constrangedores, não somente minha pessoa mas também meus familiares. Depois de cinco anos de muitos gastos para provar minha inocência, fui absolvido, juntamente com todos os acusados de que nada irregular foi constatado. Agradeço o juiz do fórum de Armazém, que fez uma correta analise e está no caminho certo.” A família foi o alicerce para não baixar a cabeça, “sou imensamente grato com a minha família, nos momentos difíceis minha esposa e minhas três filhas, juntamente com meus genros e netos, me deram a força necessária para seguir em frente, agora absolvido e com o processo arquivado é vida nova, porém é uma ferida que vai ser difícil cicatrizar, sofremos bastante”.

Agradecimento

Por último fica o agradecimento e a questão de poder ser novamente candidato, “agradeço imensamente a toda a população de Armazém, amo essa cidade e não penso em sair daqui. Muito obrigado por me acolherem nesta bela cidade e me considero filho de Armazém. Quero dizer para minha família que vocês são a maior motivação em minha vida, vocês são meus tesouros, muito obrigado por tudo”.

Perguntado se poderia voltar a concorrer em alguma eleição, Gabriel responde, “me acostumei a viver sem trabalhar, já que não tinha como trabalhar… mas se precisarem que eu ajude, estarei a disposição”.

Por Lissandro Velho

Este artigo está em

Join the Conversation