Nasa prepara Estação Internacional para táxis espaciais comerciais

Dois astronautas da Nasa saíram da Estação Espacial Internacional nesta sexta-feira (19) para uma caminhada espacial de mais de 6 horas para instalarem uma vaga de acoplagem para futuros táxis espaciais comerciais, o que irá acabar com a dependência norte-americana da Rússia para as viagens ao posto avançado orbital.

O comandante da estação, Jeff Williams, e a engenheira de voo, Kate Rubins, flutuaram ao redor da câmara de vácuo da estrutura por volta das 9h15 (horário de Brasília) e seguiram para a vaga de acoplagem outrora usada pelos já aposentados ônibus espaciais da Nasa.

“Bela vista”, disse Rubins, em sua primeira caminhada espacial.

Desde que aposentaram a frota de ônibus espaciais em 2011, os EUA dependem dos russos para levar astronautas para a Estação Espacial a um custo de mais de 70 milhões de dólares por pessoa.

Segundo o plano da caminhada desta sexta-feira, Williams e Rubins iriam anexar um adaptador ao atracadouro que irá permitir que táxis espaciais comerciais sendo desenvolvidos pelas empresas Space Exploration Technologies e Boeing estacionem na estação, um laboratório de pesquisa de 100 bilhões de dólares que paira cerca de 400 quilômetros acima da Terra.

Sediada no Estado norte-americano da Califórnia, a SpaceX, cujo proprietário e operador é o empreendedor de tecnologia Elon Musk, pretende iniciar os testes de voo de sua nova cápsula de passageiros Dragon para a estação em 2017.

Já o voo inaugural da cápsula CST-100 Starliner da Boeing é esperado para 2018.

A Nasa tinha esperança de ver o primeiro dos dois novos atracadouros instalados no ano passado, mas o equipamento foi destruído durante um acidente no lançamento de uma espaçonave de carga da SpaceX em junho de 2015.

Um novo atracadouro está em construção e deve ser entregue à estação no começo de 2018.

Fonte: G1

Este artigo está em


Join the Conversation