Artigo escrito pelo presidente da instituição: Cleverson Siewert

Foi aprovado pelo Conselho de Administração da Celesc orçamento de investimento de R$ 371 milhões para 2017.  Em valores aproximados, serão destinados R$ 281 milhões para rede de distribuição, 46 milhões para as áreas de geração, transmissão e novos negócios, R$ 31 milhões para ampliação dos sistemas de informação, R$10 milhões para veículos e R$ 1,30 milhão para edificações. Este orçamento, a exemplo de anos anteriores, ultrapassa o valor mínimo regulatório conferido para o período, o que tem sido uma decisão estratégica da Companhia, e encampa um planejamento que de forma prudente amplia a atuação da empresa reduzindo gastos.

Com faturamento anual bruto na casa dos 11 bi, a gestão da Celesc vem atuando com foco na modernização do sistema e sua operação, otimizando e automatizando processos na busca por qualidade no produto e serviço entregues a seus quase 3 milhões de clientes. Prevemos para ano que vem a energização de novas subestações em Bombinhas, no litoral, em Sangão, no Sul do estado, e Maravilha, no Oeste. Também serão iniciadas obras de novas subestações em Palhoça, Araquari, Brusque, e ampliação das subestações de Tijucas, Jaraguá do Sul, Camboriú, Piçarras, Herval d’Oeste, Siderópolis e Itajaí Itaipava.

Estes avanços compõem um conjunto de ações desenvolvidas pela Celesc que de forma estratégica contribuem, efetivamente, para o desenvolvimento econômico e social de Santa Catarina, estado responsável por 5,2% do volume de energia elétrica consumida no país.  Ações estas que posicionaram a Celesc como 5ª melhor empresa do Setor Elétrico Nacional, e que a fez voltar a figurar entre as 34 companhias brasileiras que compõem a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bovespa, sendo reconhecida como socialmente responsável por promover melhores práticas de sustentabilidade empresarial.

Por fim, sejam consumidores, prestadores de serviços, parceiros ou funcionários, todo catarinense pode se sentir parte destas conquistas, e pode aguardar por benefícios para o ano que vem. Temos, portanto, um orçamento para 2017 que, além das cifras, traz consigo um cuidado com o planejamento, com projetos e com as pessoas.

Este artigo está em


Join the Conversation