Secretaria do Planejamento orienta regionais na elaboração de projetos para desenvolvimento econômico

Entre os dias 24 e 26 de maio, técnicos da Secretaria de Estado do Planejamento farão reuniões nas ADRs de Lages, Curitibanos, Taió e Ituporanga para assessorar as regionais na elaboração de projetos para melhorar a economia local. A atividade faz parte do Crescendo Juntos – Programa de Desenvolvimento e Redução das Desigualdades Regionais que visa promover o equilíbrio das regiões catarinenses.

“Nossa intenção é auxiliar as ADRs na construção de ações que busquem o desenvolvimento regional, pois o conjunto de projetos de cada região do programa (são 12 no total) deve ser encaminhado à equipe técnica da Secretaria de Planejamento até o dia 31 de maio. Esses projetos serão avaliados e selecionados para comporem a Agenda Regional de Desenvolvimento”, explicou o coordenador de projetos especiais da Secretaria de Estado do Planejamento Vicente Sandrini Pereira.

Cada região conta um Núcleo Executivo Regional, composto por representantes do poder público e da sociedade civil organizada. Esse grupo de trabalho definirá as ações prioritárias nos eixos de desenvolvimento econômico, desenvolvimento social, gestão pública, infraestrutura e meio ambiente e ciência e tecnologia. A etapa seguinte é a análise dos projetos pela Secretaria de Planejamento e pelo conselho gestor do programa Crescendo Juntos, formado pelas secretarias de Estado de Planejamento, da Assistência Social, Trabalho e Habitação, de Agricultura e Pesca, Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo Cultura e Esporte, além de Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e Federação dos Trabalhadores na agricultura do Estado de Santa Catarina (FETAESC).

Sobre o Crescendo Juntos

Após o estudo de diversos indicadores de desenvolvimento, a equipe técnica da Secretaria de Estado do Planejamento elaborou o mapa de elegibilidade que define as regiões de Santa Catarina em mais desenvolvidas, em transição e menos desenvolvidas. Essa classificação é resultado da associação de duas variáveis-chave capazes de medir o desenvolvimento socioeconômico de uma região ou do Estado: renda domiciliar per capita média da população residente na região e Produto Interno Bruto per capita. Além disso, foram considerados dois indicadores complementares: evasão da população e a dinâmica do emprego formal.

O programa identificou 12 regiões com baixos índices de desenvolvimento em Santa Catarina: Caçador, Campos Novos, Canoinhas, Curitibanos, Dionísio Cerqueira, Ituporanga, Lages, Laguna, Quilombo, São Joaquim, São Lourenço do Oeste e Taió. Em cada região será elaborada uma agenda de desenvolvimento com propostas concretas para dinamizar a economia local, respeitando as vocações dos territórios, com a participação de órgãos governamentais e da sociedade civil organizada.

Os parceiros do Crescendo Juntos são Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. (BADESC), Federação Catarinense de Municípios (FECAM), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), Federação dos Trabalhadores na agricultura do Estado de Santa Catarina (FETAESC), Banco do Brasil, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Sistema ACAFE (Associação Catarinense das Fundações Educacionais).

Este artigo está em


Join the Conversation