Epagri é destaque no Prêmio Jovem Cientista em Fruticultura

Dois dos cinco pesquisadores finalistas do Prêmio Jovem Cientista em Fruticultura, promovido pela Sociedade Brasileira de Fruticultura (SBF), são da Epagri. Henrique Belmonte Petry, da Estação Experimental de Urussanga, e Janaína Pereira dos Santos, da Estação Experimental de Caçador, conquistaram vagas na final com suas teses de doutorado.

O prêmio é uma homenagem da SBF aos melhores trabalhos de iniciação científica, mestrado e doutorado desenvolvidos em instituições brasileiras e do exterior. Os trabalhos foram selecionados com base em critérios como relevância do tema, originalidade, inovação, fundamentação teórica, adequação da metodologia, qualidade dos resultados, importância para a fruticultura brasileira e mérito científico.

Henrique Belmonte Petry ficou entre os cinco melhores do País com o trabalho “Root distribution of peach rootstocks affected by soil compaction and acidity”, resultado de sua tese defendida em 2014 no Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). “Estudei a influência de características químicas e físicas do solo na distribuição das raízes de porta-enxertos de pessegueiro”, explica.

O pesquisador já foi finalista do prêmio em 2012, na categoria Mestre. “Estar entre os cinco melhores mais uma vez é uma vitória, um reconhecimento do meu trabalho. Tem um significado muito importante, porque divulga o nome da Epagri”, diz.

Para Janaína Pereira dos Santos, o reconhecimento do trabalho também é o maior prêmio. Ela inscreveu o artigo “Suscetibilidade de genótipos de macieira a Anastrepha fraterculus (Diptera: Tephritidae) em diferentes condições de infestação”, também resultado de sua tese de doutorado defendida na UFRGS. A pesquisa avalia a suscetibilidade da macieira à mosca-das-frutas, que é a principal praga que ataca as frutíferas tropicais e de clima temperado.

“Trabalho com a mosca-das-frutas há 12 anos na Epagri, me especializei nisso, então são 12 anos de trabalho reconhecido, de todo o esforço de laboratório, de campo e de doutorado”, comemora.

Os cinco trabalhos selecionados na categoria Doutor ficarão expostos na forma de painéis durante o XXIVCongresso Brasileiro de Fruticultura, que será realizado em São Luís (MA) de 16 a 21 de outubro. No dia 20, os finalistas defenderão seus trabalhos para a Comissão Científica Julgadora. O vencedor será divulgado no encerramento do congresso. O prêmio da categoria é uma máquina fotográfica profissional. Os cinco classificados ainda recebem certificado de menção honrosa.

Este artigo está em

Join the Conversation